7ª Semana de Relações Internacionais

As Relações Internacionais hoje: Estadocentrismo e Desglobalização?

Notícias na imprensa

Notícia publicada no jornal Diário de Marília no dia 18 de agosto de 2009 sobre a 7 Semana de RI.

Manchete: Unesp sedia congresso de Relações Internacionais

“A Unesp de Marília dá início na próxima segunda-feira à 7ª Semana de Relações Internacionais.

Serão quatro dias de evento e o tema central será “As Relações Internacionais hoje: Estadocentrismo e Desglobalização?”.

Mais de trinta palestrantes, de quatro diferentes países, além do Brasil, estarão presentes.

“São palestras com especialistas da área como o Diretor da Escola Internacional da Universidade de Hubai, Wuhuan (China) e Edgar Celestino López Jiménez, do Ministério da Defesa Nacional do Paraguai, entre outros”, explicam Tadeu Pacheco e Ruan Sales, da comissão organizadora.

Além disso, segundo eles, evento traz outras atrações internacionais como Katherine Ross Silva, da Universidad de Chile, e Clemente Herrero, da Universidad Autônoma de Madrid (Espanha)”,

Além das palestras, estão programados mini cursos e apresentação de trabalhos científicos.”

Link: http://www.diariodemarilia.com.br/Noticias/72608/Unesp-sedia-congresso-de-Relaes-Internacionais

Notícia publicada no Portal Universia Brasil no dia 20 de agosto de 2009.

Manchete: Semana de Relações Internacionais da Unesp de Marília

“O curso de Relações Internacionais da Unesp (Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho) de Marília promove, a partir do dia 24 de agosto, a 7ª Semana de Relações Internacionais. O tema abordado será As Relações Internacionais hoje: Estadocentrismo ou Desglobalização?

O evento, coordenado por José Blanes Sala, conta com a participação do deputado federal Aldo Rebelo que fará conferência Sobre a atualidade da Questão Nacional.

Além de conferências, haverá sessões de comunicação com mesas redondas, seminários e fórum. Haverá também a aplicação de mini cursos a respeito de temas correlacionados.

A programação se estenderá durante todo o dia a partir do dia 24 até o dia 27 de agosto.

Para maiores informações acessar www.marilia.unesp.br

Link: http://www.universia.com.br/noticia/materia_dentrodocampus.jsp?not=49725


Notícia publicada no site da Unesp – Campus de Marília no dia 24 de agosto de 2009.

7ª Semana de Relações Internacionais

As Relações Internacionais hoje: Estadocentrismo e Desglobalização?

Desde 2003, a Unesp realiza a sua Semana de Relações Internacionais, organizada alternadamente entre os campi de Franca e de Marília, com o intuito de discutir o cenário político internacional e a inserção do Brasil no mundo. Neste ano, o evento chega a sua sétima edição e tem como tema: “As Relações Internacionais hoje: Estadocentrismo e Desglobalização?”. O evento ocorrerá entre os dias 24 e 27 de agosto, na Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC), Unesp de Marília. Estão confirmadas as presenças do Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto, Secretário Geral das Relações Exteriores do Brasil desde 2003; Li Xiangkun, Diretor da Escola Internacional da Universidade de Hubei, Wuhan, na China; do Deputado Federal por São Paulo, Aldo Rebelo, e muitos outros renomados profissionais e acadêmicos brasileiros, chilenos, paraguaios, chineses e espanhóis.

O evento é voltado tanto a profissionais, alunos de graduação e pós-graduandos, quanto às demais pessoas interessadas em entender a situação do Brasil e, sobretudo o panorama internacional que emergiu ao final da Guerra Fria, envolvendo o amplo processo de globalização e o surgimento de vários pólos de poder, que tendem a determinar as novas diretrizes do sistema, principalmente devido ao questionamento do papel do Estado diante de uma crise estrutural.

Blog da 7ª Semana de RI

A Sétima Edição
O fim da Guerra Fria e a dissolução da União Soviética, simbologicamente representados pela queda do Muro de Berlim – que completa vinte anos neste ano de 2009 – inauguram um novo e complexo cenário para as Relações Internacionais. A partir de então, o fim do duopólio mundial de poder levará à desconstrução de uma ordem internacional que prevaleceu por quase meio século, dividindo o mundo em dois blocos hostis e antagônicos. Tal período de transformação da geopolítica mundial trouxe consigo uma nova distribuição das capacidades e obrigações para as forças políticas mundiais, construindo um novo cenário internacional; um novo cenário com possibilidades de integração e desagregação, ordem e desordem, mas, sobretudo, com novos desafios para a condução e análise dos acontecimentos internacionais.

Em um primeiro momento, era esperada uma nova era de paz e cooperação internacional. O desafio que se colocara era o de aproveitar a chamada “onda democratizante”, no intuito de engendrar em todo o mundo as mudanças que fossem necessárias e capazes de gerar impacto positivo na vida das populações menos favorecidas e dos grupos vulneráveis e excluídos do processo de globalização. Porém, a realidade do sistema internacional contemporâneo, caracterizada por polaridades indefinidas (Unipolar? Multipolar? Uni-multipolar?), mostrou-se extremamente complexa. Não mais poderia se reduzir a análise dos fenômenos internacionais a fórmulas simplificadas para sua compreensão, sobretudo àquelas que buscavam avaliar os efeitos causados pelo processo de globalização em intenso aprofundamento. Novas percepções necessitavam surgir e se desenvolver para esclarecer os novos rumos das relações internacionais.

Crescera, todavia, a concepção de que certos assuntos vitais para sociedades e economias locais passavam a ser, agora mais do que nunca, questões indiscutivelmente globais, internacionalizadas. Paulatinamente foram ganhando importância os mecanismos de tratamento coletivo e cooperação multilateral, por agentes sociais diversificados, que não mais somente os Estados. Temas como democracia, direitos humanos, migrações, cultura e meio ambiente passam a ter espaço privilegiado nos fóruns multilaterais, adquirindo legitimidade internacional como assuntos predominantes da política entre as nações.

No entanto, a atual crise econômica que vem atingindo os países desde 2008, tem colocado em xeque muitas das transformações advindas dessa fase de transição ocorrida nos últimos vinte anos. As ações tomadas pelos países a fim de contornar a situação econômica global têm sido sempre no sentido de preservar seus próprios Estados e não uma ação conjunta para salvar o sistema. O Estado-nação parece então ressurgir como o meio para a salvação da economia; discussão que encontra paralelo com Grande Depressão de 1929 e o reordenamento da conduta estatal, naquela ocasião, através do modelo keynesiano.

Desta forma, todo o panorama internacional que emerge junto ao fim da Guerra Fria, envolvendo o processo amplo de globalização e vários pólos de poder, tenderá a novas diretrizes, sobretudo devido ao questionamento do papel do Estado diante de uma crise estrutural. Trata-se, portanto, do momento oportuno para uma profunda reflexão em torno da melhor compreensão do cenário internacional atual – onde cabe a discussão sobre se vivencia-se o processo de “Desglobalização” ou até mesmo um retorno ao “Estadocentrismo” –, tarefa de central importância para a formação intelectual dos atuais estudantes de Relações Internacionais.

Atrações Culturais
Durante a semana os participantes poderão assistira a diversas atrações culturais, dentre as quais, a já confirmada apresentação da Academia Jazz Bell Sc Ltda, no dia 24 de agosto às 20 horas; e também a do grupo de Taiko, Hibiki Wadaiko, às 19 horas, no dia 25 de agosto
.

Link: http://www.marilia.unesp.br/index.php?CodigoMenu=1&CodigoOpcao=1305&Codigo=281

Começou segunda-feira, na Unesp, a 7ª Semana de Relações Internacionais. O tema desta edição é “As Relações Internacionais hoje: Estadocentrismo e Desglobalização”.

Com o objetivo de discutir o cenário político internacional e a inserção do Brasil no mundo, o evento conta com a participação de personalidades da área, como diplomatas e intelectuais, além de agentes políticos, é voltado aos profissionais da área, alunos de graduação e pós-graduação e à população interessada na área da diplomacia internacional.

Para o aluno Renato Ribeiro, 19 anos, aluno de Relações Internacionais da Unesp de Franca, eventos como este vêm para somar nas futuras experiências. “As lições da vida de alguém que trabalha com relações internacionais podem nos auxiliar com o futuro”, diz Renata Buscato, de 18 anos.

Palestra de Sebastião Carlos Velasco e Cruz, da Unicamp, abriu o evento. A 7ª Semana termina amanhã. Além das palestras, mini-cursos e apresentação de trabalhos acontecem simultaneamente.

O valor da inscrição é de R$25 para estudantes de graduação, R$35 para estudantes de pós-graduação e de R$50 para profissionais, e pode ser feita na Unesp-Marília.

link: http://www.diariodemarilia.com.br/Noticias/72865/Unesp-realiza-7-Semana-de-Relaes-Internacionais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: